4 dicas para preparar a sua lista de verificação durante a consulta de pré-tratamento

Existe uma importante distinção entre “saber o que precisa fazer” e “lembrar de usar esse conhecimento”. É por conta disso, que listas de verificação de cirurgia segura se tornaram indispensáveis em grande parte dos ambientes clínicos. Portanto, é importante aplicar princípios similares à consulta pré-tratamento de um paciente.  Assim, além de verificar alergias, gravidez e […]
lista de consulta de pré-tratamento

Existe uma importante distinção entre “saber o que precisa fazer” e “lembrar de usar esse conhecimento”. É por conta disso, que listas de verificação de cirurgia segura se tornaram indispensáveis em grande parte dos ambientes clínicos.

Portanto, é importante aplicar princípios similares à consulta pré-tratamento de um paciente.  Assim, além de verificar alergias, gravidez e amamentação, têm outros quatro itens que você pode – e deve – adicionar em sua lista de verificação de consulta pré-tratamento. 

1-Metas realistas 

Frequentemente, os pacientes comparecem na consulta com imagens selecionadas e retocadas, bem como expectativas que, muitas vezes são irreais de procedimentos médicos. Dessa forma, é importante negociar com seu paciente por metas mais realistas e condizentes com a realidade. 

Foque nos resultados desejados por seu paciente

Trabalhe sempre com os objetivos que são possíveis de alcançar com o tratamento. Em seguida, envolva-o com uma descrição objetiva do resultado, de modo que use termos como “mais definido” ao invés de “mais agradável”.

Busque explicar de modo claro o que é o procedimento 

Use linguagem moderada para modificar a compreensão atual do seu cliente sobre o procedimento. Por exemplo, as linhas podem ser “suavizadas” ou “reduzidas”, no lugar de “apagadas” ou “removidas”.

Tire todas as dúvidas do paciente antes de iniciar o tratamento 

Sempre se certifique de que o paciente está satisfeito com a quantidade de produtos que serão necessários, bem como as despesas associadas. Ainda, pergunte ao seu paciente como ele espera que o procedimento afete seu cotidiano para que você possa obter uma melhor compreensão do conhecimento existente. Por exemplo, se estão cientes dos benefícios e os tempos do procedimento a ser realizado. 

2-Fotografias pré e pós-tratamento

As fotografias tiradas antes e depois dos tratamentos são importantes, não só por mostrarem as áreas de preocupação, como também uma forma de exibir a escala do resultado para o paciente de modo a aumentar sua satisfação. 

Além disso, para algumas seguradoras essas fotografias são um requisito médico-legal. Sem contar que você pode usá-las em seu portfólio profissional.

3-Consentimento sempre

Apesar de parecer óbvio, o consentimento é muito mais que apenas uma assinatura em um pedaço de papel. O paciente deve estar ciente dos riscos e complicações; como as complicações são gerenciadas e pagas; opções alternativas ao procedimento, entre outros. 

Outro ponto a ser analisado é o de quem não deve tratar. Assim, algumas etapas devem ser adicionadas para uma melhor triagem dos pacientes como, por exemplo, ferramentas de triagem psicológica, cobrir o histórico psiquiátrico e sondar para sinais de transtorno dismórfico corporal. 

4-Transmita informações

É seu dever como profissional da estética discutir o procedimento com o médico da família, a não ser que o paciente tenha decidido não o fazer. 

E então? Já praticava alguma das dicas dessa lista? Planeja acrescentá-las na sua lista de verificação de consulta pré-tratamento? Conte-nos nos comentários! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2010-. Portal da Biomedicina Estética.
logo biomedicina estética