Estudo prático em cadáveres prepara Biomédicos Estetas mais seguros para atuar na área

Ainda rara no país, a doação de cadáveres para estudo faz toda diferença para biomédicos que pretendem investir em aprimoramento em procedimentos estéticos. A realidade no País revela que a maioria das universidades não dispõe de cadáveres, justamente pela dificuldade em conseguir doações deste material para estudo. Diretora do NEPUGA, instituição de Ensino em pós-graduação […]
Ainda rara no país, a doação de cadáveres para estudo faz toda diferença para biomédicos que pretendem investir em aprimoramento em procedimentos estéticos. A realidade no País revela que a maioria das universidades não dispõe de cadáveres, justamente pela dificuldade em conseguir doações deste material para estudo. nepugacadaverDiretora do NEPUGA, instituição de Ensino em pós-graduação em Saúde Estética, Drª Ana Carolina Puga, diz que tamanho empecilho fez com que ela buscasse alternativas para oferecer um estudo mais especifico, em cadáveres frescos, de procedimentos estéticos. “Depois de muita pesquisa, visita à países, consegui uma parceria com o Nicholson Center, em Orlando e também no M.A.R.C, em Miami para realizar o curso internacional de anatomia aplicada em cadáver fresco com ênfase em injetáveis e plástica não-invasiva”, explica. Ela conta que precisou buscar alternativas fora do País, pois para realizar este curso, que tem como principal objetivo, o uso de cadáver fresco, seria necessário importar o material, e este processo já não proporcionaria o material de qualidade necessário para atingir o objetivo das aulas. Segundo Drª Ana, o diferencial deste curso é poder estudar em cadáveres que ao invés de serem conservados em formol, são congelados após o corte e mantidos assim um dia antes da aula. “Desta forma, o profissional tem acesso a um cadáver com todas as estruturas anatômicas preservadas, onde se pode observar os vasos por onde passam os nervos, a musculatura facial. Isto proporcionará um outro entendimento para quem quer se especializar em aplicação de toxina e preenchimento facial”, diz. Outro diferencial será a presença do PhD em Anatomia para Dissecação de Cadáver nas áreas da estética e cirurgias, Dr. Tony Brown, que ministrará as aulas ao lado da Drª Ana Carolina Puga. “Os alunos poderão praticar aplicação de botox e preenchimento na face em cabeça de cadáveres, injetando soluções coloridas na face. Serão observados os caminhos que a substância percorre, observar onde passam os nevos e descobrir até onde podem ir em um procedimento estético. Este processo previne erros e forma profissionais mais seguros”, revela. O curso, destinado a profissionais da saúde, já tem sua primeira turma formada que voará ^5666DD1A092393A939A1D91AE05EB2D1C0B902E771D4F5482F^pimgpsh_fullsize_distrpara Orlando ainda em março para estudar em laboratórios de anatomia altamente equipados com o que há de mais avançado na área da saúde. Em junho, o curso internacional de anatomia aplicada em cadáver fresco com ênfase em injetáveis e plástica não-invasiva acontecerá em Miami e no mês de outubro, em Orlando.   Mais informações do curso em Orlando, clique aqui. Para informações de Miami, clique aqui . [widgetkit id=”28″ name=”BANNER PÓS-GRADUAÇÃO BIOMEDICINA ESTÉTICA NEPUGA”]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2010-2021. Portal da Biomedicina Estética.
logo biomedicina estética