Manifeste-se contra a volta do Ato Médico em Consulta Pública

Falamos anteriormente sobre a volta do Ato Médico. O projeto de lei nº350 de 2014 está tramitando novamente no senado. De autoria da senadora Lucia Vânia (PSB-GO) esse projeto de lei quer alterar a lei nº 12.842, de 10 de julho de 2013, que dispõe sobre o exercício da Medicina, para modificar as atividades privativas […]

Falamos anteriormente sobre a volta do Ato Médico. O projeto de lei nº350 de 2014 está tramitando novamente no senado. De autoria da senadora Lucia Vânia (PSB-GO) esse projeto de lei quer alterar a lei nº 12.842, de 10 de julho de 2013, que dispõe sobre o exercício da Medicina, para modificar as atividades privativas de médicos.

Uma consulta pública para que médicos e profissionais da saúde se manifestem a favor ou contra a alteração da lei está em andamento no site do Senado Federal.

Vote contra a volta do Ato Médico

A consulta pública é de extrema importância, pois manifesta de forma clara a posição dos profissionais da saúde diante deste tema tão polêmico.

No entanto, até esta quinta-feira (7) de manhã, 4719 pessoas votaram a favor das mudanças que irão implicar diretamente na atuação dos profissionais da saúde, principalmente aqueles que trabalham hoje na área da estética. O número de votos contra era de 4514.

Chamamos todos os biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros, dentistas, fisioterapeutas, e demais profissionais ligados à saúde a votarem na consulta pública contra essa emenda.

Vote contra, clique aqui e se manifeste!

Nova emenda limitará profissionais da saúde

Caso esse projeto de lei seja aprovado, a atuação dos profissionais da saúde ficará completamente limitada quanto a alguns procedimentos. Veja alguns pontos que a mudança na lei pretende alterar:

Os artigos 4º e 5º passariam a vigorar com a seguinte redação Art 4 XV – formulação do diagnóstico nosológico e respectiva prescrição terapêutica; XVI – indicação de uso de órteses e próteses, exceto as órteses de uso temporário. XVIII – prescrição de órtese e próteses oftalmológicas IV – invasão da epiderme e derme com o uso de produtos químicos ou abrasivos V – Invasão da pele atingindo o tecido subcutâneo para injeção, sucção, punção, insuflação, drenagem, instilação, ou enxertia, com ou sem o uso de agentes químicos ou físicos.

Art 5 X – aplicação de injeções subcutâneas, intradérmicas, intramusculares e intravenosas, de acordo com a prescrição médica XI – cateterização nasofaringeana, orotraqueal, esofágica, gástrica, enteral, anal, vesical, e venosa periférica, de acordo com a prescrição médica XII – punções venosa e arterial periféricas, de acordo com a prescrição médica.

Entre outras implicações à carreira dos profissionais da estética, a aprovação das emendas atingiriam os biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas e demais profissionais da saúde e da estética que hoje aplicam injetáveis, fazem preenchimentos, oferecem a prática dos fios absorvíveis, entre outros tratamentos que só poderão ser indicados com a prescrição médica.

Comentário (13)

  • maria dos remedios s. cruz

    Absurdo,médicos querem impedir outros profissionais da saúde como enfermeiro, biomédico, etc. a fazer procedimentos com embasamento cientificamente corretos e com domínio absoluto e seguro. É como se uma faculdade só valesse se for médicina, em país em que um médico apenas com bacharelado é dr. quer o que ?
    abaixo o ato médico

  • Absurdo!!! SOU TOTALMENTE CONTRA
    Médico tem seu papel
    Farmaceutico têm o seu
    Enfermeiros tem o seu

    Medico nao é dono da razão, todoa temos o dirrito de atuar conforme sua área.

  • Pessoal o grande problema são as pessoas que tem uma péssima formação e não se especializa de forma decente e sai para o mercado fazendo procedimentos errados, os pacientes vão buscar ajuda justamente com os médicos, ou seja o médico que resolve os erros, e digo mais tudo de ruim atualmente que acontece no mercado cai sobre os Biomédicos isso em todas as áreas. Eu desconheço um corporativismo igual a medicina e na atual situação que estamos é uma guerra muito difícil.

  • Maria Salomé M. C Viana

    Farmácia-Bioquímica é um curso até mais antigo que o de Medicina,
    Com registro e Aprovação no MEC, tanto quanto Medicina.
    Respeitamos os Médicos e também merecemos respeito,
    Somos cônscios da nossas responsabilidades. Determinação do que
    devemos ou não fazer já está no registro do curso no MEC e as disciplinas
    que temos no curso é porque está na grade curricular registrada no MEC. O CFM está
    querendo exercer um papel que não é seu. Ninguém é irresponsável pra
    sair por aí exercendo o que não lhe compete ou que não está capacitado.
    Nos capacitamos tanto quanto os médicos com pós- graduação, mestrado, doutorado e
    tudo que for preciso para o bom exercício da profissão.
    Enquanto o CFM está incentivando rivalidades de profissões, está faltando médicos nos hospitais,
    é com isso que devia se preoculpar

  • MARTA ROCHINHAS DA COSTA

    Absurdo! Todos os profissionais, dentro de sua área, são treinados para tais procedimentos,,,por que toli -los? Por que somente o ato médico deve prevalecer? A maioria dos médicos terminam seu curso e já começam a clinicar…não fazem doutorado e são os doutores..muitas vezes nem residência,,Enfermeiro, biomédico, farmacêutico etc todos têm condições de realizarem procedimentos e ,muitas vezes, muito melhor que muitos médicos… por estarem de efetivo em um atendimento diário, enquanto o médico o faz esporaticamente. Sou contra! Abaixo o ato médico!

  • Qual o problema de cursar 6 anos de medicina e fazer mais outros tantos de especialização? Falta de capacidade?. Faça sua parte e fique no seu quadrado. Cada um tem sua atribuição. Nunca vi médico se metendo nas atribuições dos outros. Nao dá tempo. Tem que salvar vidas!!!!

  • Eulélia Antônio de Barros

    A competência e ética profissional está além de um diploma, seja este de medicina ou biomedicina. Ter bacharelado em medicina não significa que quem o possuí tenha competência e ética para exercê-la, prova disto se faz a quantidade de erros médicos na área da estética, chegando a ponto de causar mutilações e até mesmo mortes. A excelência profissional se faz mediante busca constante do aprimoramento dos conhecimentos, independente de sua formação inicial.

    • Biomedicina Estética

      O erro estético está também diretamente ligado à natureza do procedimento. E ter direito de exercer a medicina não significa que tem direito de expor a vida de pacientes em risco sob o argumento de que “consegue reverter”. Isso é papo furado.

    • Biomedicina Estética

      Com certeza! O pior é quando uma das profissões (a medicina) quer controlar a competência não só de uma, mas de todas as outras profissões da saúde…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2010-2021. Portal da Biomedicina Estética.
logo biomedicina estética