Biomédicos Estetas podem usar as redes sociais? Como o Código de Ética pode atrapalhar?

Com o aparecimento das redes sociais, ficou muito mais fácil divulgar e fazer seu trabalho ser visto, não é verdade? Então porque cada vez mais surgem biomédicos estetas dizendo que não podem mais usar as redes sociais?

Você pode ser um dos biomédicos que estão se sentindo prejudicados por terem sido intimados pelo CRBM para não divulgar ou retirar o seu trabalho das redes sociais. Se isso ainda não aconteceu contigo, saiba que existe essa desagradável possibilidade.

Pois é, biomédicos e biomédicos estetas sofrem há algum tempo devido ao Conselho Federal de Biomedicina (CFBM) insistir em interpretar um Código de Ética de uma maneira unilateral e incompreensível. Ademais, podemos afirmar que tal código de ética está defasado e que lesa a própria categoria perante às demais categorias concorrentes, como por exemplo: dentistas, esteticistas, farmacêuticos e médicos.

Parece até brincadeira, não é? Mas essa é a realidade da categoria, que viu seus colegas da odontologia, estética e outras áreas se aproveitarem da possibilidade de divulgar nas redes sociais.

Não poder divulgar na internet não é uma reclamação qualquer. É comprovado que esse tipo de publicidade traz muito resultado, uma vez que se trata de estética. E ESTÉTICA PRECISA SER MOSTRADA, SER VISTA.

Os biomédicos querem gozar desse direito. Então porque o Conselho Federal de Biomedicina insiste em manter uma interpretação do código tão prejudicial ao Biomédico?

A verdade é que este código além de defasado é impreciso e ambíguo, além de não deixar claro se impede ou o que permite.

A chapa de sempre que se reelege para ocupar funções administrativas e fiscais do Conselho interpreta o código de maneira impeditiva sobre a divulgação biomédica. Cada dia essa medida antipopular vem gerando uma imagem negativa a estes membros do conselho.

Segundo rege a Constituição Federal do Brasil, todo Conselho de Classe Profissional tem como papel principal proteger a sociedade do mal profissional.

Se o CFBM tem essa interpretação do Código de Ética, logo se vê o tipo de confiança que o conselho deposita nos seus especialistas.

Assim sendo, como um biomédico se sente representado pelo seu Conselho?

Como fica aquele biomédico associado ao seu conselho regional que paga pelo direito de exercer uma profissão e encontra sérias dificuldades em divulgar seu trabalho num mundo tão competitivo e mudado pela Internet? Como se faz para ser um biomédico esteta capaz de competir no mercado de trabalho?

Saiba que se você biomédico esteta se sentir lesado ou injustiçado, você pode e deve recorrer à Justiça Comum. Até mesmo, isso pode ser feito através uma ação coletiva ou em grupo. Esse tipo de processo já aconteceu em várias outras profissões resultando em vitória aos profissionais.

A classe já não vive mais no mundo de 20 anos atrás. Muitas coisas aconteceram, diversas vertentes foram criadas, inclusive a Biomedicina Estética.

Ou seja, uma atualização de visão e redação do Código de Ética Biomédico é extremamente necessária. Sem dúvidas!

O que diz o Código de Ética da Biomedicina?

No site do CRBM 1 é possível consultar a Regulamentação e o Código de Ética da profissão.

No Capítulo V – páginas 118 e 119, versa sobre os limites para divulgação e propaganda a atividade biomédica:

Art. 7º – O biomédico pode utilizar-se dos meios de comunicação para conceder entrevistas ou palestras sobre assuntos da Biomedicina, com finalidade educativa científica e de interesse social.

Primeiramente, no código de ética inexiste qualquer proibição.

Segundo, ao ler a frase “com finalidade educativa (E DE) interesse social”, abre para a interpretação de que todo o tipo de divulgação de “interesse social” é permitida.

(E DE) não gera uma condicional, mas sim, acrescenta mais uma possibilidade de tipo de divulgação, não sendo limitada apenas as de cunho científica educativa.

Em terceiro lugar, há pelo menos mais uma ambiguidade desse código de ética, já que “estudos e pesquisas cientificas” fogem do que seria do real e atual interesse social. Afinal, quem define o que é de interesse social? Com certeza não é o Conselho.

Na prática, o que é de real interesse social é saber se os biomédicos estão tendo um bom desempenho em suas funções.

Diante das divulgações, a própria sociedade tem maiores condições de reconhecer a importância da classe, como também, identificar e denunciar os maus profissionais.

Essa é uma maneira do CFBM contribuir com os biomédicos e a sociedade.

Biomédicos também não podem ser mencionados

É isso mesmo! Para “ajudar”, os biomédicos estetas não podem, nem mesmo, deixar que outras pessoas os marquem em alguma publicação.

Imagina a situação: Um paciente pede para te mencionar em uma rede social… ou já lhe marcou feliz da vida…

Você, ao invés de agradecer pela publicação, tem que pedir para ele ter de retirar só porque o Conselho de Classe pode lhe punir por interpretar o Código de Ética da maneira que bem entende.

E quem tem tempo para ficar controlando a vida dos outros? Sim, existem aqueles colegas invejosos, mas principalmente, a pior parte fica pela atitude do Conselho de Classe em aceitar toda e qualquer tipo de denúncia sem ao menos investigar. É realmente um mal uso dos recursos financeiros da entidade. Beira ao abuso e mal uso de poder.

Além do profissional já ser lesado por não poder postar um simples vídeo ou fotografia mesmo com autorização do paciente, ele ainda é forçado pelo Conselho a se desfazer de todo um lastro histórico profissional em suas redes sociais.

Ter uma habilitação não é somente o necessário. A divulgação é fundamental, já que atualmente o tradicional cartão de visita, panfletagem e etc não resolvem mais nada. Há uma necessidade de estar nas redes sociais.

É uma piada de muito mal gosto!

Dra. Ana Carolina Puga fala sobre direito dos biomédicos

A presidente da Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética, Dra. Ana Carolina Puga, saiu em defesa desse direito para a classe.

O código precisa ser atualizado com urgência. Com todos os mercados investindo pesado nas redes sociais, os biomédicos ficaram para trás e estão perdendo o ‘boca a boca’ dos profissionais, já que o antes e depois é a melhor maneira de fazer o ‘boca a boca’ na era digital

Ela também ressaltou que somente com a revisão do Código de Ética os biomédicos terão chances, relacionado a concorrência.

Se a biomedicina é a profissão do futuro, como sempre fala, então eles precisam liberar a utilização de mecanismos modernos

Os biomédicos estetas não podem aceitar essa condição

É isso mesmo. As redes sociais estão aí para serem usadas e você, biomédico esteta, é qualificado para cuidar dos pacientes.

Não aceite o argumento ter de responder por alguns maus colegas que não são responsáveis o suficiente para lidar com esse tipo de situação.

Como em tudo no Brasil, os bons biomédicos estetas, infelizmente, estão pagando por poucos ruins, uma minoria totalmente isolada e insignificante.

#JuntosSomosMaisFortes

Biomédicos, vamos correr atrás dos nossos direitos e conquistar o poder de divulgar nosso suado trabalho nas redes sociais. Procurem advogados, recorram e busquem ações coletivas. Vamos nos mobilizar!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor insira seu comentário aqui!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...
Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.