Biomedicina Estética: Carboxiterapia combate estrias de maneira eficiente

Considerada, junto da celulite, uma das grandes aflições das mulheres e de muitos homens, as estrias podem aparecer em qualquer parte do corpo Olá pessoal! Você sabiam que um dos tratamentos mais eficazes para as temidas estrias é a carboxiterapia? Isso mesmo, ela consiste no uso de gás carbônico (CO2) para reduzir essas marcas. A […]
carboxiterapia

Considerada, junto da celulite, uma das grandes aflições das mulheres e de muitos homens, as estrias podem aparecer em qualquer parte do corpo

Olá pessoal! Você sabiam que um dos tratamentos mais eficazes para as temidas estrias é a carboxiterapia? Isso mesmo, ela consiste no uso de gás carbônico (CO2) para reduzir essas marcas. A infusão atua dilatando os vasos sanguíneos, estimulando a formação de novos vasos e promovendo a melhor irrigação sanguínea dos tecidos, ações que resultam na recuperação da pele.

Cicatrizes podem ficar praticamente invisíveis com a carboxiterapia

As estrias ocorrem em razão de uma atrofia adquirida no tecido que surge quando as fibras elásticas e colágenas, responsáveis pela firmeza da pele, se rompem, formando cicatrizes. As linhas paralelas com tonalidade avermelhada (ou esbranquiçada na fase tardia) têm relevo deprimido ou discretamente elevado, a espessura e largura são variáveis. As zonas mais vulneráveis para estrias nas mulheres são abdômen, glúteos, seios e coxas. Outras áreas sujeitas a esse problema estético são a região lombar, ombros e panturrilhas. O problema, segundo especialistas, não está diretamente ligado ao peso corporal, mas sim à elasticidade da pele e oscilações repentinas no peso ou comprimento corporal – prova disso é que pessoas magras também têm estrias. As marcas podem ocorrer em situações como crescimento rápido durante a puberdade, aumento excessivo dos músculos por exercícios físicos exagerados, colocação de expansores sob a pele ou próteses (de mamas, por exemplo), gravidez, obesidade, uso prolongado de corticosteroides tópicos, orais ou injetáveis e anorexia nervosa.
“Pessoas que passam por cirurgia bariátrica, por exemplo, colocam prótese, passam por um estiramento do tecido e acontece o rompimento das fibras de colágeno”, explica Bruna Almeida, especialista em biomedicina estética.

Mulheres estão cada vez mais preocupadas com a saúde estética

O problema pode ocorrer em qualquer idade e tem maior predominância entre as mulheres. Estima-se que 50% da população feminina brasileira tenham estrias. Esse contingente, entre-tanto, pode mudar já que, cada vez mais preocupados com a imagem corporal, os homens têm recorrido a prática mais exagerada de exercícios físicos, uso de anabolizantes, esteroides e suplementos de forma desregulada, além de terem menos paciência para hidratar a pele. O problema muitas vezes pode afetar a autoestima, como no caso da técnica de enfermagem Patrícia Oliveira, de 32 anos, que já deixou de aproveitar a praia por vergonha das cicatrizes:
“Não me sentia bem usando biquíni porque ficava com a impressão de que todos olhavam para as minhas estrias”, diz.

Saiba quais os tratamentos que podem diminuir as cicatrizes

O mais recomendado é que as estrias sejam tratadas logo que aparecem, quando ainda estão na fase avermelhada. Além da carboxiterapia, entre os tratamentos conhecidos estão o uso de cremes, eletroterapia, radiofrequência, microagulhamento, laser e criofrequência. Os tratamentos conhecidos podem ser feitos de forma isolada ou em associação. O resultado pode variar de acordo com a resposta de cada organismo e com o protocolo aplicado pelo profissional.

Carboxiterapia garante resultados rápidos e eficazes

A carboxiterapia, é considerada um dos tratamentos mais eficazes no combate às estrias. A terapia consiste em aplicações subcutâneas de concentrações controladas de gás carbônico natural. O CO2 aquecido é aplicado com agulhas subcutâneas (tipo insulina) dentro da cicatriz e atua dilatando os vasos sanguíneos, estimulando a formação de novos vasos, promovendo melhor irrigação de sangue nos tecidos e, consequentemente, melhorando a oxigenação da região afetada. O tratamento favorece ainda a eliminação de toxinas e melhora a nutrição do tecido.
“A injeção de gás carbônico natural estimula a produção de mais colágeno e elastina que melhoram o aspecto das estrias”, explica a biomédica.
O tratamento com o gás carbônico natural, segundo Bruna, é mais eficaz e mais rápido do que os tratamentos convencionais e pode ser usado tanto para as estrias avermelhadas como para as brancas. A quantidade de sessões varia de acordo com a região corporal e com o tamanho das estrias. O ideal é a pessoa fazer uma avaliação, mas de maneira geral varia entre 8 e 12 sessões. A biomédica ressalta que as estrias não desaparecem, mas ficam praticamente invisíveis.
“O tratamento afina as estrias, tornando-as imperceptíveis”, diz. Outro resultado benéfico da carboxiterapia é que o aspecto geral da pele do entorno melhora, já que ativa a circulação.
O tratamento é contraindicado para gestantes, pessoas com problemas cardíacos e vasculares, como trombose, pacientes com câncer e pessoas que apresentam infecções de pele nas regiões a serem tratadas. As estrias podem ser evitadas antes de se instalarem permanentemente. Veja alguns dos cuidados recomendados:
  1. Controlar o ganho de peso, evitando que a pele sofra grandes distensões.
  2. Ingerir em média 2 litros de água por dia
  3. Hidratar a pele com cremes e loções
  4. Praticar exercícios físicos regulares
  5. Evitar a ingestão de doces e gorduras
  6. Alimentar-se adequadamente, ingerindo quantidades suficientes de frutas e verduras.

Biomédicos Estetas são autorizados a realizar o procedimento

A Carboxiterapia é um tratamento usado no combate de celulites, estrias e flacidez. A Carboxiterapia é o termo conhecido na terapêutica subcutânea (hipodérmica) do Anidro Carbônico – CO2 – Gás Carbônico. Deve-se sempre ser realizado por profissionais treinados, como um Biomédico Esteta. Na estética este equipamento é capaz de controlar o fluxo injetado por minuto e utilizado na área acometida de forma injetada sobre a epiderme, derme e tecido subcutâneo, considerados superficiais. Por sua vez, os equipamentos de carboxiterapia são registrados na ANVISA como equipamentos de fins estéticos e todos com INMETRO, capazes de controlar a temperatura e fluxo injetado por minuto do CO2. Portanto, busque se especializar em uma pós-graduação em biomedicina estética e realizar cursos de aprimoramento para que possa ter segurança no momento do procedimento e assim passar, também, confiança ao seu paciente. Fonte: G1 Gostou desta matéria? Então você vai adorar ler: “Elimine a Flacidez Facial com os Fios de Sustentação PDO.” Ficou com alguma dúvida? Deixe no comentário que iremos respondê-lo. [widgetkit id=”28″ name=”BANNER PÓS-GRADUAÇÃO BIOMEDICINA ESTÉTICA NEPUGA”]

Comentário (3)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2010-2021. Portal da Biomedicina Estética.
logo biomedicina estética