Movido por pessoas que sonham em melhorar sua autoestima e sua forma física, o mercado de estética clandestino carioca é um verdadeiro circo que tem no picadeiro falsos médicos e falsas promessas.

A disputa pelo domínio do mercado de estética clandestino que existe no Rio resultou em uma morte por encomenda e na morte do assassino por queima de arquivo.

O fato envolveu Fernanda Silva Almeida, mandante do crime, que é conhecida nas ruas do Rio como “Fernanda Bumbum” e sua rival, Marcileni Soares Gama, falsa médica que aplicava silicone industrial e conhecida apenas como “Leni”. Ela foi morta em 22 de julho de 2017.

mercado-clandestino-mortes

Todo o esquema foi desmascarado pela Polícia Civil e realizou na prisão da mandante e sua cúmplice na sexta-feira, dia 18.

É um ponto final nesse horror, que durou meses, colocou a vida de dezenas em riscos por procedimentos irregulares e que usa produtos que não estão de acordo com a ANVISA.

Em agosto de 2018, Fernanda já havia sido preso por diversos crimes estéticos. Uma de suas vítimas sofreu uma infecção grave nas nádegas após procedimento estetico com PMMA.

Relembre o caso: Bonitinha, mas ordinária: “Dra. Enfermeira” é presa por diversos crimes estéticos

Entenda o caso

O delegado da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, Daniel Rosa, revelou que Fernanda e Leni vinham travando essa guerra, inicialmente, com ameaças de morte.

O show de horrores teve um novo capítulo quando Fernanda Bumbum contratou um de seus clientes, Diego Luiz Teodoro, para matar Marcileni.

mercado-clandestino-mortes

A investigação também mostrou como ela arquitetou o crime, que contou com uma terceira pessoa, Natália Alves de Souza, de 33 anos. O papel de Natália na trama seria se aproximar de Marcileni e ganhar a confiança da vítima.

Para concluir o assassinato, entra em cena Diego, que recebeu R$ 10 mil de Fernanda, a arma do crime e a ordem de que ele poderia ficar com qualquer objeto de valor da casa, informou o delegado que investiga o caso.

mercado-clandestino-mortes

Leni foi morta no dia 22 de julho de 2017, Diego foi flagrado por câmeras de segurança indo em direção à casa dela, com a desculpa que queria fazer aplicações de silicone industrial no corpo.

Ela foi executada com dois tiros e seu corpo encontrado numa rua do Recreio dos Bandeirantes, zona Norte do Rio. Já Diego foi morto no dia seguinte, como queima de arquivo.
mercado-clandestino-mortes

Falsa médica e sua cúmplice finalmente em cana

O pai de Diego foi um dos colaboradores para que a Polícia pudesse desvendar esse crime, dando detalhes de como tudo foi arquitetado.

Natália foi presa em Lucélia, no interior de São Paulo. Já Fernanda foi presa em casa, em Nova Iguaçu.

Chocante, não é mesmo? Infelizmente muitas pessoas se aventuram por este mercado e podem selar assim a sentença de anos de sofrimento ou até mesmo a morte.

Prefira profissionais estetas qualificados e que atuem dentro da Lei

Crimes praticados como os das personagens da matéria, acontecem todos os dias. Você não precisa ser mais uma vítima, o risco é grande demais!

Todos que se submetem a procedimentos estéticos PRECISAM se certificar de vários fatores, incluindo qualificação do profissional, indicação de pessoas, e também o preço. Afinal, o barato sai caro, né?

Se ame! Deixe que pessoas habilitadas e que se dedicaram por anos em especializações e estão de fato preparados para exercer essa função, possam cuidar de você.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.