Procedimentos estéticos sem bisturi fazem sucesso na China

Técnicas rápidas e menos invasivas são as mais pedidas por jovens chineses.
procedimentos estéticos

A busca pelo rosto ideal é o desejo de muitas pessoas, mas nem todas estão dispostas a fazer cirurgias plásticas ou outros procedimentos definitivos. 

É por isso que muitos jovens da China têm procurado por procedimentos estéticos menos invasivos como peelings, lasers e  aplicações de ácido hialurônico e toxina botulínica. A intenção é fazer pequenos “ajustes” no rosto sem que a fisionomia mude excessivamente. Em outras palavras, ser sua “melhor versão” em vez de ter um “rosto novo”.

Procedimentos estéticos e a economia chinesa

Esses métodos menos invasivos são mais baratos e bastante populares no Ocidente e, por consequência, se tornaram mais acessíveis nas metrópoles chinesas conforme o padrão de vida aumenta. 

De acordo com a Frost & Sullivan, uma empresa americana de consultoria empresarial, enquanto a cirurgia plástica perde seu espaço, as técnicas não invasivas passam a representar uma parcela muito importante do mercado estético. 

Um levantamento realizado pela Deloitte, uma empresa de auditoria britânica, estas intervenções passageiras custam aproximadamente um terço do preço de uma cirurgia plástica. 

Segundo a Associação Chinesa de Cirurgia Plástica e Estética, estima-se que neste ano o setor atinja um volume de negócio de 300 mil milhões de yuans, o equivalente a US$47,48 mil milhões de dólares, sete vezes mais do que em 2013. 

Padrão de beleza irreal

As autoridades, porém, vem tentando evitar o desenvolvimento caótico dessa indústria ao proibir práticas publicitárias que possam contribuir para problemas de aparência e/ou complexos físicos. 

Assim, as clínicas especializadas não podem apresentar fotos de “antes e depois” dos procedimentos estéticos para evitar que “padrões de beleza irreais” sejam promovidos. Caso contrário, os estabelecimentos podem ser multados pelas autoridades.

Diversos profissionais da área apontam que perceberam uma diferença nos resultados esperados pelos pacientes. Se antes eles tinham o desejo de parecer com algum artista ou personalidade famosa, agora eles buscam pequenas melhorias na aparência. 

O que você acha? Essa moda pega aqui no Brasil? Conta pra gente nos comentários! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2010-. Portal da Biomedicina Estética.
logo biomedicina estética