Erros de médico causa cegueira, enquanto dentista trabalha para reverter necrose em rinomodelação

URGENTE – NOVA ATUALIZAÇÃO EM 06/05/2019

Tal notícia da necrose surgiu de inúmeras mensagens trocadas em diversos grupos de Whatsapp. A tese (versão inicial) é de que tudo isso se originou a partir da uma rinomodelação com ácido hialurônico por meio de uma médica dermatologista em São Paulo com infeliz desfecho à paciente e sua família.

Após a publicação da matéria, o blog recebeu inúmeros contatos, via telefone e também pelas redes sociais, com uma gama enorme de detalhes sobre o caso.

Analisamos todo material recebido por estas pessoas, que vão desde especialistas até algumas pessoas do público geral. Assim sendo, conseguimos isolar duas situações distintas.

Vale ressaltar que as imagens foram difundidas em grupos de especialistas no WhatsApp e que as informações cedidas são de acordo com relatos.

Necrose causada por uma cirurgiã-dentista?

    Na primeira situação, recebemos o contato de uma associação internacional de dentistas com sede no Brasil e presidida por uma cirurgiã-dentista.

    Ela declarou que as fotos da necrose pertencem a outra colega e que tais fotos fazem parte de um artigo científico para estudo de caso.

    Ainda segundo o contato, as fotos estão sendo publicadas em periódicos internacionais e tem confidencialidade atrelada à sua divulgação. Ela também alega não saber como as fotos foram divulgadas nas redes sociais, pois isso pode causar constrangimento à paciente.

    De acordo com a presidente de tal instituição que mencionamos no início do caso, a cirurgiã-dentista citada e que se intitula proprietária das imagens foi o profissional que socorreu a paciente no hospital, já com a necrose, e fez o procedimento para a reparação do processo.

    Procedimentos de preenchimento que atingem as áreas do nariz (a pirâmide nasal integra o terço médio da face, da base do nariz e arcos até e espinha nasal anterior e o inferior desta região até a base da mandíbula), ou seja, em áreas específicas da região do terço superior da face, não são recomendados pelas metodologias mais seguras e nem realizado por profissionais mais responsáveis.

    O risco pode ser pequeno, mas quando acontece é comparável a pular de paraquedas e falhar, ou seja, se der uma complicação não tem volta!

    Cegueira causada por uma dermatologista?

      Os relatos mais atualizados reforçam que uma dermatologista de São Paulo/SP aplicou ácido hialurônico na região dos olhos da paciente, o que resultou num erro estético gravíssimo denominado por Síndrome Ocular Isquêmica, ou seja, causou cegueira irreversível à uma paciente.

      A paciente das imagens, após o procedimento, teve seu quadro clínico agravado resultando em dores insuportáveis e SPL (sem percepção luminosa), ou seja, a paciente perdeu totalmente a visão.

      Ao contrário do que foi relatado anteriormente, baseado em troca de mensagens de um grupo de Whatsapp, a dermatologista recorreu imediatamente à aplicação de hialuronidase, mas sem sucesso.

      Depois, a dermatologista teria encaminhado o caso a um oftalmologista. Porém, mesmo com todas as medidas possíveis, o ácido hialurônico causou a oclusão de artéria da retina.

      Tal oftalmologista, segundo informações, teria aplicado hialuronidase intraconal, mas também sem sucesso. O mesmo profissional chegou a cogitar a hialuronidase intra-arterial, mas não prosseguiu, pois os efeitos colaterais sistêmicos poderiam ser imensuráveis.

      Na outra versão mencionada por nossos leitores, o caso de necrose no nariz foi atribuído erroneamente à médica dermatologista. Tal profissional não tem nada a ver com as outras fotos divulgadas.

      O grande questionamento perante estas imagens é: como situações destas, tão graves e revoltantes, não caíram imediatamente na imprensa?

      Chega a ser engraçado como existe uma verdadeira discriminação da imprensa, uma espécie de malhação do judas contra as demais classes da saúde, exceto quando médicos dermatologistas e cirurgiões plásticos erram e matam com procedimentos estéticos.

      Casos de erros estéticos sem divulgação na grande mídia

      O que temos logo acima é são casos chocantes, que através das fotos mostram erros gravíssimos, mas que não sabemos realmente quem foram os profissionais por trás de tais falhas.

      Também não vimos nenhuma exposição na grande mídia. Diferente do que ocorre com biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros e outras classes, que chegam a serem perseguidos e responderem por liminares descabíveis, não é verdade?

      Mas quem estava lá para denunciar tal erro estético? Quem estava lá para dar voz à pessoa que sofreu calada? Pois é, ninguém! Nenhuma grande mídia compareceu.

      Um profissional responsável pode sugerir outros métodos e tratamentos para alcançar o resultado esperado pelo paciente. Afinal, cirurgiões dentistas que atuam com harmonização orofacial e médicos dermatologistas deveriam zelar pela atuação ética e de excelência entre os colegas, procurando sempre evitar procedimentos estéticos que expõem o paciente de forma desnecessária.

      Sendo assim, o melhor a se fazer é evitar a realização de procedimentos como rinomodelação e aplicação de ácido hialurônico na região dos olhos, mesmo se o paciente insistir ou autorizar.

      Lamentamos pelo ocorrido. Esperamos que a situação da necrose nasal seja revertida, que o caso de cegueira tenha um responsável, que tudo termine bem e que sirvam de exemplos para que não se repita mais.

      Biomédica esteta se indigna com a situação

      Conversamos com uma biomédica esteta que destacou a importância que a classe dá ao paciente. Ela menciona o quão arriscado é o local que foi feito o procedimento na vítima.

      A biomédica esteta também se solidarizou com a situação enfrentada pela médica dermatologista e cirurgiã dentista.

      “Nós, biomédicos estetas, procuramos evitar ao máximo esses tipos de procedimentos arriscados. Nossa conduta é sempre com procedimentos minimamente invasivos em áreas que não ofereçam riscos. Há áreas que são consideradas como seguras, mas se houver algum erro estético as consequências são mínimas e totalmente reversíveis. Agora, há áreas mais delicadas e mesmo que as chances possam ser mínimas, basta acontecer um único erro para acabar com a vida do paciente e a própria vida profissional. Haja visto o caso ocorrido em Olinda-PE, onde a colega cometeu um erro estético, mas com sorte tudo foi revertido e a jornalista está sã e salva! E ao que ficamos sabemos a biomédica teve que arcar com as despesas em quase 60 mil reais, não sofreu nenhum processo na justiça, mas desistiu da carreira na estética. O que a médica dermatologista vai passar não se compara a toda a dor e sofrimento da paciente. Esse tipo de coisa não se deseja nem para os inimigos. Desejo que tudo se resolva da melhor forma.”

      Radiologista comenta caso da cegueira

      Um médico responsável por radiografia avaliou todas as fotos e opinou sobre o caso. É algo realmente impressionante o que aconteceu.

      “Por azar, o ácido hialurônico deve ter entrado em alguma veia que drenava para a veia oftálmica e acabou embolizando essa veia oftálmica, imagino eu, pelo que eu vi nas imagens. Entupiu a veia e aconteceu esse estrago todo. É aquele tipo de situação que o colega faz 1000, 2000 procedimentos e apenas 1 dá erro. Ninguém merece passar por isso!”

      Medicina dermatológica enganosa

      Médicos não são deuses e não se preocupam em evitar procedimentos mais arriscados por acharem que podem resolver todo o tipo de intercorrência.

      Como sempre, ele tentam se garantir com antibióticos ou com colegas de outra especialidade para corrigir “cagadas”, como foi o caso da aplicação de ácido na região dos olhos feita por médica dermatologista.

      Além disso, como profissionais que se dizem renomados, com estudos “robustos”, se prestam a fazer este tipo de procedimento, tão arriscado e contraindicado por outras classes, até mesmo em âmbito internacional?

      E quando que encaminhar o paciente com cegueira ao colega oftalmologista iria resolver este tipo de caso? Aonde é que cabe agora aquele discurso que só médico tem condições de garantir a segurança dos pacientes? Quanta enganação!

      Esta situação deixada pela dermatologista só mostra o quanto médicos são desprovidos de recursos e não são soberanos em nada. Lhes falta muita humildade, principalmente, em termos coletivos e corporativos. Como confiar em profissionais que sequer respeitam e subestimam os colegas de outras profissões?

      O Conselho Federal de Medicina (CFM) juntamente de associações médicas vêm travando novas brigas no judiciário para assegurar reserva de mercado nos procedimentos estéticos minimamente invasivos. Sequer as demais especialidades da medicina estão reivindicando por privatividade.

      Infelizmente para a cirurgia plástica e dermatologia a pele é um órgão externo e por isso eles terão de se conformar em dividir o direito de intervenções com as demais profissões da saúde. Repare que nem oftalmologia, nem neurologia, nem cardiologia estão brigando por uma suposta invasão às suas competências privativas asseguradas pela Lei do Ato Médico. É uma grande cara de pau dessas duas especialidades se vitimizarem.

      O que se conclui diante desses erros estéticos?

      Independente de qual seja a situação, o que se tira de lição destes relatos é que, para um procedimento livre de riscos irreversíveis é necessário fazer um convencimento geral aos profissionais da saúde que atuam com estética minimamente invasiva.

      É preciso conscientizar que existem procedimentos que possuem sim um baixo risco de intercorrências e complicações, mas que, dependendo da área/região do rosto, tal erro tende a ser irreversível.

      Não é porque o profissional é médico que está imune a erros irreversíveis. Não se pode acreditar que, ao cobrar mais caro por um procedimento, vá trazer elevada qualidade e padrão de vida pra si e família. Basta um único erro para acabar com a vida profissional do especialista, como também, do paciente e seus familiares.

      Mediante a estas informações, fica o nosso questionamento: qual o verdadeiro caso por trás destas imagens? Quem está falando a verdade?

      Sobre a errata da matéria

      Não temos problemas em reconhecer quando estamos errados.

      Vale ressaltar que estamos sempre buscando por fontes confiáveis e que estamos sempre compromissados com a verdade dos fatos.

      E que tal artigo, acima de tudo, tem caráter educativo e deve servir como um alerta aos profissionais da saúde e população. Evitem rinomodelação e aplicações de ácido hialurônico na região dos olhos. Não é a primeira vez que isso acontece. Não é a primeira vez que também fazemos este apelo.

      Então, gostou deste artigo? Deixe sua indignação nos comentários ou nas nossas redes sociais. Vamos responder a todos!

      Deixe aqui seu Comentário

      Login com:

      Loading Facebook Comments ...

      32 COMENTÁRIOS

      1. Todo profissional tem que proceder de acordo as normas vigentes de segurança, beneficência e não malevolência. Infelizmente, nas propagandas médicas por aí nunca vemos escrito “nós também erramos” e sim que só eles podem trazer segurança. Esse e mais inúmeros casos provam que precedimentos arriscados podem dar errado com eles ou com qualquer um. Todos nós podemos precisar de apoio de outras classes nessas e em outras situações. Que fique de alerta aos pacientes, pois se um profissional alega que com ele nada dá ou dará errado, ou mesmo que só ele sabe consertar, está aí a prova que consultar ou encaminhar aos colegas é questão corriqueira até nas intercorrências. Algumas áreas da face deviam ser proibidas de procedimentos estéticos excetuando os cirúrgicos, justamente pq pequenas correções não valem o risco e nem dermatologistas deviam arriscar a vida ou morfologia do paciente, mesmo que ache que como médico consegue resolver tudo… Não resolve.

        • pois é! que isso valha principalmente para os médicos né?

          agora imagina se por causa disso a medicina tem que acabar! é sabido que médico mata muito com erros, até mais que acidente de trânsito! contudo, salva mais do que mata… não é mesmo???

          só que tem um erro aí né Dr.? o profissional da saúde e o leigo não encaminham direto para médico! só médico pode encaminhar para outro médico! o profissional da saúde e o leigo podem encaminhar ou se dirigir para o sistema público ou privado de saúde e, somente após análise da primeira equipe de atendimento que é formada por enfermeiros, que se encaminha para um médico especialista ou generalista.

          outra coisa bem estranha é o fato que este pensamento médico é bem seletivo e tendencioso…

          quando médico erra e não consegue consertar ele pode encaminhar para outro médico ou uma equipe multidisciplinar (cuja chefia não é médica)… até se matar existe sempre uma explicação técnica e só “médico tem competência” para analisar/mitigar (leia-se: acobertar) a real gravidade do caso.

          quando um motorista fere inúmeras pessoas em acidentes de trânsito o mesmo pode solicitar socorro e encaminhar para o atendimento de saúde… (ele não precisa ser médico, “mas esse tipo de problema pode encaminhar pra médico, menos problema estético”! – olha que acidentes de trânsito também são caso de saúde pública)

          quando um cozinheiro/nutricionista de restaurante têm clientes com intoxicação alimentar os mesmos podem encaminhar tais pessoas para o atendimento de saúde… (e estes não são médicos, “mas esse tipo de problema pode encaminhar pra médico, menos erro estético”)

          quando um cabeleireiro, um podólogo, um tatuador, um esteticista que nem profissionais da saúde são cometem algum tipo de erro que causa algum tipo de infecção ou queimadura os mesmos podem encaminhar para o atendimento de saúde… (e estes não são médicos, “mas esses tipos de problemas pode encaminhar pra médico, menos erro estético”)

          quando um dentista depois de ter utilizado todos os tipos de antibióticos e demais recursos para reverter algum tipo de intercorrência/complicação, o mesmo pode encaminhar para o atendimento de saúde… (dentista não é médico, “mas esse tipo de problema pode encaminhar pra médico, menos erro estético”)

          quando um profissional da saúde está fazendo qualquer tipo de trabalho como vacinação, atendimento hospitalar, injetando soro e etc se depara com um tipo de intercorrência/complicação, que coloca em risco a vida do paciente, mesmo depois de todos os tipos de manobras de primeiros socorros sem êxito, o mesmo pode encaminhar para o atendimento de saúde… (e este não é médico, “mas esse tipo de problema pode encaminhar pra médico, menos erro estético”)

          agora… quando um colega profissional da saúde/esteta tem algum tipo de intercorrência/complicação especificamente na área da estética, que não coloca em risco a vida do paciente, prestou todos os tipos de auxílios, ao ver dos médicos corporativistas trata-se de um ato condenável… invasão do ato médico! um exercício irregular da profissão! e por aí vai… como entender esse juízo de valor incoerente… sendo que nem aparato legal existe para tal exigência absurda desses médicos!

          “mas pode encaminhar pra médico” – é uma malandragem para conseguir mais clientes né?! KKKKKK

          mas médico serve pra que mesmo afinal? não é para salvar vidas?

          e ainda acham ruim quando concorrentes de outras profissões recorrem a eles… quem sabe um dia os profissionais da saúde ficam completamente independentes de vocês médicos? pois parece que é isso que vocês estão procurando!

          tá na cara que toda e qualquer alegação emitida pela classe médica para desqualificar profissionais da saúde tem como fundamento a reserva de mercado!

            • Pronto! Estudei! Aprende ai!

              O Ministério da Educação (MEC) não tem competência ministerial para decidir qual categoria profissional faz parte ou não como sendo da Saúde. Isso é competência do Conselho Nacional da Saúde (CNS) juntamente com o Ministério da Saúde (MS).

              Sequer é possível encontrar no Google qualquer menção entre Estética e CNS.

              O CNS somente reconhece 14 (quatorze) categorias profissionais de saúde de nível superior: (1) assistentes sociais, (2) biólogos, (3) biomédicos, (4) profissionais de educação física, (5) enfermeiros, (6) farmacêuticos, (7) fisioterapeutas, (8) fonoaudiólogos, (9) médicos, (10) médicos veterinários, (11) nutricionistas, (12) odontólogos, (13) psicólogos e (14) terapeutas ocupacionais.

              Fonte: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/reso_98.htm

              Mas Estética atua com a saúde das pessoas! Em parte sim.

      2. Perfeito . Tbm sou Biomedica estéta e sabemos que todo procedimento corre riscos mas tentamos fazê-los dentro de uma linha de segurança . E quando acontece algo assim fico muito triste pelos 2 lados . Principalmente pela paciente que fica mais prejudicada . Infelizmente esses erros servem para mostrar que ninguém está inseto dessas complicações . Não é questão somente de classes na área da saúde e estetica .

        • Só informando: a pirâmide nasal integra o terço médio da face não o superior! Terço superior inicia-se nos arcos superciliares até a inserção dos cabelos(Tricio), o Medio, da base do nariz e arcos sup até e espinha nasal anterior e o Inferior desta regiao ate a base da mandibula. Conhecimento básico de anatomia pra quem quer atuar nesta área!
          Acho que todos estão passíveis de complicações e não devemos usar estes casos para justificar a atuação de outras classes e nem atacar o profissional que teve a intercorrencia. Ele já deve ter problemas demais!

          • tarde demais para instruir nós jornalistas que escrevemos este artigo né? não! pera! ainda dá tempo de atualizar no artigo! estamos atualizando! mas será que isso resolve a situação da paciente e da médica dermatologista? coitada da profissional! ela está sendo atacada! não! pera! biomédicos estetas nunca ou não são atacados por médicos!! ah… mas a matéria está tentando justificar a atuação de outros profissionais…. mas até mesmo com qualquer tipo de intercorrência leve e reversível os médicos utilizam para justificar a extinção dos profissionais estetas! meu caro Edcleverton, fala sério!

      3. Desculpe, mas ninguém sem CRM tem conhecimento técnico discutir o ocorrido. O caso só serve para comprovar o quanto os procedimentos estéticos são sujeitos a complicações e não devem ser feitos por profissionais de outras profissões que não têm experiência ou conhecimentos profundos de técnicas avançadas. Infelizmente, complicações acontecem com quem realiza preenchimentos em áreas de risco e isso é muito bem relatado em artigos científicos e congressos de dermatologia. Mesmo com profundo conhecimento de como tratar intercorrências o colega não consegui reverter a embolização. A banalização desses procedimentos, feito por profissionais não habilitados é o que tem colocado mais em risco a população brasileira. Se aproveitar de uma tragédia para tentar dar força a legitimação do exercício ilegal da medicina é uma vergonha. Ignorância é uma dádiva. Dá força e coragem às pessoas inaptas a realizar procedimentos aos quais não têm qualificação. E tudo isso por ganância.

        • Catarina engano seu. Todos têm o direito e a liberdade de discutir sim sobre o ocorrido. Capacidade técnica de discutir algo que “deu ruim”… neste caso não há muito o que se discutir. Sua mentalidade faz com que a sociedade fique em risco constante. Essa visão que você defende sob a exclusiva perspectiva médica. Em casos de erros como esses, é muito mais fácil médico acobertar médico do que quando há outros representantes da saúde fiscalizando o caso. De certa forma você já está tentando por panos frios. Concordamos que profissionais não habilitados não deveriam fazer procedimentos assim. Nem sabemos como conseguem comprar as substâncias. Ao menos se sabe que profissionais não habilitados pelos seus conselhos de classes não podem comprar. Mas que os maiores erros (aqueles irreversíveis e seguidos de morte) ainda estão relacionados aos médicos habilitados e pouco se vê erros com profissionais estetas habilitados. Aceite isso! Esta realidade reflete em todos os tribunais do Brasil!

        • Vergonha é não entender da formação dos outros profissionais de saúde e tentar a todo custo uma reserva de mercado. Intercorrências neste procedimentos acontecem com todos os profissionais que trabalham, independe da formação. O importante é capacitação e competência dos profissionais para lidar com essas situações.

      4. O que se questiona aqui não é o erro somente, é a ausência de autocrítica e imparcialidade nas informações obtidas na mídia no geral. Fora do país, onde muitaaa coisa é proibida e a lei é rigorosa assim como a preocupação com os pacientes, profissionais que por aqui sofrem pressão e até um tipo de cerceamento e questionamentos quanto à qualificação profissional, trabalham sendo reconhecidos pela excelência na prestação dos seus atendimentos assim como trabalham em parceria com outros profissionais sem problemas como competição. Ao contrário, em alguns casos são amplamente defendidos e reconhecidos pelos colegas da área de saúde e muitas vezes trabalham juntos. O problema todo está na inexatidão das informações ou falta delas. Um ato cotidiano q ninguém presta atenção, mas que deveria… um cirurgião dentista pode dar em média no mínimo 1 anestesia local ou de bloqueio ao dia. No mínimo! Pode ser 2,3,5… enfim, cada um deles é passível de reação e são responsáveis por isso. Em uma cirurgia simples de exodontia, ele anestesia, sutura, medica e é responsável por isso. Junte qtos são ao ano e alguns ainda julgam q são incapazes de fazer um procedimento que chamam de invasivo. Eles devem ser capazes de avaliar a saúde no geral para esses procedimentos, observando riscos em pacientes hipertensos, diabéticos, e muitas outras possíveis contra indicações ou cuidados. Ñ estou para defender ninguém, mas para criticar deveriam realmente saber do que falam. Talvez presenciar alguns procedimentos cotidianos fosse o suficiente. São “PHD” em biossegurança, cada consultório têm um mini centro de esterilização com autoclave, destilador de água etc. Gaze, fio de sutura, material estéril etc fazem parte do dia à dia. Não quero polemizar mas já presenciei como paciente várias falhas no atendimento médico qto ao uso de máscara, luva, material estéril etc… ex, vários materiais juntos estéreis para uso em vários pacientes qdo deveria ser embalado individualmente. Mas esses mesmos erros podemos ver em hospitais, consultório odontológico. Porém, uso de autoclave e materiais estéreis fazem parte do cotidiano, pois não é excessão, é rotina diária. Desculpem o textão, mas acredito que o grande problema é que o principal motivo de tudo isso é o pensamento capitalista que visa lucro, reserva de mercado e não a preocupação com o mais importante, o PACIENTE. Que cada órgão se preocupe com seus membros e capacitação profissional dos mesmos visando a integridade da população e que faça sua principal obrigação, cuidar e fiscalizar assim como punir os profissionais que extrapolam sem corporativismo e sim com ética. Não devemos esquecer que TODO profissional de saúde, deve antes de mais nada preservar a SAÚDE!!

      5. Todos profissionais são passivos de erros, mais eles só acontecem qdo o profissional não se especializa ou se intitula deus na área, auto confiança ao extremo.

        • prezada Giovana, a data da foto não desqualifica o caso. em nenhum momento dissemos que o caso aconteceu em 2019. estamos divulgando que o caso veio a tona via Whatsapp só agora em 2019. será que o caso estava acobertado desde 2018?

      6. Lamentável o padrão deste material. A radiografia panorâmica não tem relação alguma com o Acido Hialurônico. Falo com conhecimento de causa.

        • nós não somos responsáveis pelas fotos. no início do artigo está claro que essa notícia e conteúdos se deram do WhatsApp. e um médico radiologista analisou superficialmente a situação.

          • André como essa foto veio junto no pacote dos comentários do Whatsapp de todas é a menos “nervosa/agressiva” para utilizar como capa/chamada ao artigo.

        • E está mesmo! Tanto que o CRM pediu para o MEC que não se abrissem mais faculdades de medicina neste país! O que não falta é médico mal formado! O difícil mesmo é pagar e ter um retorno à altura após a faculdade, residência e pós graduações né doutora (para no final continuarem cometendo erros cabulosos né?)? É por isso querem tanto a reserva de mercado! Não é verdade?

      7. Esse tipo de erro é inadmissível mas a reportagem e totalmente tendenciosa. Criticam a dermatologista e pedem a opinião de um biomédico sobre o assunto. É como se um neurocirurgião cometesse um erro e fossem pedir pra faxineira do bloco cirúrgico comentar. Por favor, divulgar informação e conhecimento é muito importante. Mas façam as coisas direito.

        • O que você esperava? Que apresentássemos a opinião da paciente? Ou da dermatologista? Ou de um colega dermatologista para botar panos frios? A opinião da biomédica esteta é a mais legítima mesmo porque se trata de um site de biomédicos! Por que essa matéria não está no site dos dermatologistas!? Ah eles preferem não emitir opinião sobre o caso… pois acobertam os erros de outros médicos! A população está acostumada e já espera esse tipo de atitude dos médicos! Quantas pessoas e famílias já não sofreram com esse corporativismo médico!?

      8. Que ridículo esse “artigo”. Complicações infelizmente acontecem. Só não acontece com quem não faz. “Artigo” tendencioso. Como se “biomédico estetas” nunca errassem. Você critica tanto a classe médica e está fazendo justamente o mesmo, colocando os biomédicos como “deuses” que nunca erram.

        • Olha peça um dia lá na SBD um dossie de erros estéticos e verá que a maioria dos erros mais cabulosos são cometidos por médicos mal formados ou charlatões. Aqui nós somos parciais mesmo. E não tendenciosos. Há uma leve diferença. Enquanto estamos aqui deflagrando a verdade, os tendenciosos criam fakenews ou contam histórias pela metade para parecer algo que realmente não são. Leia com mais atenção e verás que há um link sobre o erro estético provocado por uma biomedica e que felizmente foi revertido, mas completamente bombardeado pela mídia, ao contrário deste caso da matéria em questão (muito mais grave e irreversível) que está sendo abafado pela classe médica. Vocês médicos não tem autocrítica! E ninguém está pedindo para que a dermatologia se limite a atuar com doenças de pele cuja é a verdadeira vocação e finalidade de atuação destes especialistas.

        • Concordo plenamente. Só erra quem faz, ninguém faz pensando errar. Mas se vai fazer e pode errar, é necessário no mínimo saber conduzir a intercorrência. Mas nesse caso mesmo com um CRM é uma especialidade não sabia resolver, pelas conversas, ela nem tinha hialuronidase disponível. Como assim? Procedimento de risco. Vai fazer procedimento sem material indispensável. Eu me solidarizo com a paciente e com a profissional. Pois eu acho que ninguém deve passar por isso. Foi uma falha grave. Pois com material adequado não teria evoluído, estaria bem e sem necrose. Mas , enfim. Muito triste o caso..

          • Gildete o procedimento rinomodelação é de risco. É aquele tipo de risco que um erro dificilmente tem reversão. Tem coisa que deve ser evitada ou até mesmo banida. Procedimento estético na justiça são de atividade-fim, ou seja, quando o profissional da saúde tem obrigação do resultado e não há como fugir da culpa/responsabilidade sobre todo e qualquer erro estético causado ao paciente. O médico ou profissional esteta são obrigados a reparar o dano com indenizações.

      9. Eu sou médica e concordo com o texto ! Nós os pôs graduados também estamos sofrendo com todas as alegações dos deuses da Dermatologia e da cirurgia plástica que estão usando o RQE para fazer reserva de mercado ! Parabéns ao texto !

        • Em momento algum está sendo dito que profissionais da saúde estão isentos de erros, mas a ordem é seguir padrões de segurança mesmo que não satisfaça o cliente. Leia a matéria com atenção e tenha um entendimento ponderado. A classe médica dermatológica se endeusa mesmo! Esperamos que nenhum profissional da saúde e paciente passe por isso, mas basta não fazer graça querendo fazer rinomodelacao… um único erro para ter que pagar pelo resto da vida!!! Isso vale pra todos!

      10. Justamente médicos não são deuses e os estetas merecem respeito ! Brigam tanto pela estética, porque não brigam para fazerem à alta complexidade dentro de hospitais. Já que lá o Enfermeiro graduado pode fazer inúmeros procedimento invasivos . Médicos briguem pela saúde , qualidade de vida ! Não pelo monopólio . Qualquer um poderia ter errado . Mais sendo médico a mídia abafa ! A estética não é exclusiva de dermatologista e outros médicos . Principalmente a não invasiva e a minimamente invasiva . Respeitem à voz do povo . Eles têm direito à escolher o seu profissional de estética . Afinal estudamos para isso ! E se acham que enfermeiros não tem capacidade para nada . Peguem o trabalho dele no hospital e façam . Invés de prescrever rápido algo , nem dar atenção ao paciente e ir dormir . Enfermeiro não tem que ficar chamando médico em descanso . São pagos para cumprir o plantão . Se estão tão preocupados com a população comecem à cuidar de verdade . Mais atenção à população . Mais respeito ! Mais dedicação . Eu tbm quero escolher o profissional que eu trato estética . Sendo ele médico ou não ! Mais sim aquele habilitado pelo seu conselho e capacitado para tal.

      DEIXE SEU COMENTÁRIO

      Por favor insira seu comentário aqui!
      Please enter your name here

      Somos apaixonados pelo que fazemos e fazemos tudo por amor. Nosso compromisso é apenas com a verdade e com o que acreditamos e defendemos – a biomedicina estética é legítima, um direito do biomédico, do biomédico esteta, do graduando em biomedicina e, principalmente, de toda a sociedade beneficiada com as informações aqui divulgadas e como caminho de beleza e elevação da auto-estima.