O conceito da Biomedicina Estética une duas áreas de estudo, o campo da biomedicina e a Saúde Estética. Sendo assim, a biomedicina é a área que estuda os mecanismos por trás das doenças, entendendo o surgimento de doenças, desenvolvimento de medicamentos e tratamentos para combater ou preveni-las. 

 

Já a Saúde Estética, segundo a definição do SBBME, tem como principal objetivo levar saúde aos indivíduos através da beleza. Sendo, um meio de melhorar suas condições de bem-estar físico, mental e social, proporcionando a prevenção de doenças, o rejuvenescimento fisiológico, melhora da auto-estima e hábitos de vida.

 

Partindo destes dois conceitos e indo muito além dos laboratórios de análises clínicas, o campo da estética abre novas oportunidades de atuação profissional. Por isso descubra o que é a Biomedicina Estética e a carreira na área.

 

O nascimento da Biomedicina Estética

 

A Ma. Dra. Ana Carolina Puga, é considerada a mãe da Biomedicina Estética pelo seu pioneirismo e luta pelo reconhecimento dessa habilitação no Conselho de Biomedicina, ela conta sobre esse processo:

 

 “O projeto da “Biomedicina Estética” que iniciou em 2006, teve como objetivo a conscientização da classe sobre a possibilidade da inserção dos biomédicos no exercício de procedimentos estéticos de todas as naturezas, exceto cirúrgicos, bem como a sua inclusão neste mercado de trabalho em expansão”

 

A Dra. explica que a atuação do biomédico na estética é uma realidade que, sob a comprovação científica dos métodos e técnicas utilizados, desenvolve e aplica os tratamentos para as disfunções dermatofisiológicas corporais, faciais e envelhecimento fisiológico relacionados à derme e seus anexos.

 

Conhecimentos da Biomedicina aplicados a Estética

 

Basicamente, a Biomedicina Estética cuida da saúde, bem-estar e beleza do paciente, utilizando os melhores recursos da saúde relacionados ao seu amplo conhecimento para o tratamento e recuperação dos tecidos e do organismo como um todo.

 

Segundo O Art. 1º da resolução oficial do Conselho Federal de Biomedicina (CFBM), “Ao profissional biomédico será permitido aquisição e uso de substâncias nas atividades e procedimentos na biomedicina estética, apenas as substâncias devidamente registradas e legalizadas para uso de acordo com as normas descritas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e regulamentadas por resoluções e normativas do Conselho Federal de Biomedicina”.

 

Sendo assim, os conhecimentos obtidos na graduação em Biomedicina, garante a base teórica necessária para que o profissional realize a pós-graduação em Biomedicina Estética, e aprenda a atuar com os principais procedimentos, protocolos e substâncias como toxina botulínica e demais preenchedores.

 

“O biomédico saiu de trás da bancada em busca do consultório, partindo todo o seu conhecimento generalista, humanista, crítico e reflexivo, exercendo de forma profissional pesquisando e tratando disfunções físicas e energéticas, sem deixar de lado o rigor científico e ético”, ratifica a Ma. Dra. Ana Carolina Puga.

 

A carreira em Biomedicina Estética

 

A área de Biomedicina Estética é relativamente nova, mas trouxe aos profissionais da biomedicina uma nova oportunidade de conquistar a autonomia profissional. Sendo regulamentada pelo Conselho Federal de Biomedicina em 2010, desde então vem se consolidando no mercado. 

 

Hoje, os Biomédicos Estetas possuem uma associação, a Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética (SBBME), sendo a única classe de biomédicos com um órgão específico para regulamentação. 

 

Para os profissionais que se interessam pela carreira na Biomedicina Estética, produzimos diversos artigos que podem te auxiliar nessa busca, clique aqui e confira como ingressar nessa profissão.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor insira seu comentário aqui!
Please enter your name here